Boxing For You volta em agosto com Esquiva Falcão e Robson Conceição

A nona edição do Boxing For You foi confirmada para 29 de agosto na Arena de Lutas, em São Paulo (SP), com as participações dos medalhistas olímpicos Robson Conceição e Esquiva Falcão. A organização do evento está alinhada com as autoridades de saúde para a realização do card, que terá quatro combates e não será aberto ao público.

Os representantes consultaram os protocolos para realização de competições durante a pandemia de COVID-19 repassados pelo CNB – Conselho Nacional de Boxe e pela prefeitura de São Paulo. Os boxeadores e suas equipes serão testados horas antes da pesagem – realizada na véspera – e no dia do combate.

– Vamos fazer um evento especial atendendo todas as normas de segurança. Será um desafio e uma responsabilidade enorme, o que nos motiva ainda mais. Vamos ser criteriosos e vigilantes em todas as etapas, desde a produção da área de lutas, logística, hotel dos lutadores, deslocamento e redução de pessoal – explicou Sergio Batarelli, CEO do Boxing For You.

Os eventos de boxe atuais produzidos pela Top Rank – co-promotora do Boxing For You são exemplos para a equipe multidisciplinar de Sergio Batarelli, que buscou referências com os norte-americanos para a realização da noite de lutas brasileira.

Todos os protocolos de saúde serão conduzidos pelo médico do esporte Murilo Gimenes. Como citado, o evento não terá público e com restrições severas de circulação de staff e imprensa. As equipes dos lutadores estarão apenas com um corner e um auxiliar. Um dos protocolos será a testagem de Covid-19 em todas as pessoas que estiverem envolvidas com o evento.

No dia da pesagem, os atletas e equipes estarão hospedados em um hotel de São Paulo (SP) e um médico vai no quarto de cada competidor para realizar o teste-rápido. Com o resultado negativo, o lutador passa pela pesagem e volta para seu quarto.

Segundo o protocolo, os boxeadores não poderão sair do quarto, nem para refeições. No dia da luta, eles saem direto para uma van especial que os leva para a Arena de Lutas.

No local, o Boxing For You fará um protocolo de higienização completa, cumprindo todos as exigências nacionais e internacionais para o evento.

Ouro na Rio 2016, Robson Conceição fez sua última aparição nos ringues em 8 de junho de 2019, quando derrotou por decisão unânime o mexicano Carlos Ruiz em Reno, nos Estados Unidos. O baiano peso leve (até 60kg) , que tem 13 vitórias em 13 lutas, sendo 6 nocautes, estava afastado dos combates por causa de uma lesão.

– Estou muito feliz com esse retorno ao B4Y, e espero dar um grande show, pois venho me preparando desde antes da pandemia. Vou buscar a vitória, passar uma energia aos brasileiros que sofreram nesses quatro meses de confinamento – reforçou o campeão olímpico Robson Conceição.

Já Esquiva Falcão lutou no Boxing For You de 29 de fevereiro, quando nocauteou o argentino Jorge Daniel Miranda. Foi a 26 vitória do medalhista de Londres 2012 na carreira profissional em 26 lutas, sendo 18 pela via rápida. Esquiva está na divisão dos médios (até 72,5kg).

– Teremos quatro lutas no Boxing For You 9 e em seguida vamos divulgar toda a programação. Estou muito contente, na verdade sem palavras e me sentindo como uma criança que ganhou um brinquedo novo – completou Batarelli.

Mosaico, fumaça e cantos: Flamengo transforma o Maracanã sem torcida

Por conta dos protocolos de segurança no combate à covid-19, o Flamengo não pôde contar com a sua torcida na decisão do Carioca, nesta quarta. Contudo, a diretoria se mobilizou para tornar o ambiente do Maracanã o mais próximo possível do que se costumava encontrar no estádio antes da pandemia. Mandante diante do Fluminense, o clube enfeitou as arquibancadas, realizou um mosaico e até recepção com fumaça na entrada do time.

No Setor Norte, onde costuma ficar a parte mais empolgada da Nação, as torcidas organizadas e embaixadas espalharam suas faixas e bandeiras – mais de 30, deixando o estádio rubro-negro. Na arquibancada central, um mosaico foi preparado com a seguinte mensagem: “42 milhões com vocês”, referindo-se ao número de torcedores do Flamengo no Brasil.

Outra ação do clube foi a utilização do sistema de som com cantos das torcidas, desde o aquecimento das duas equipes no gramado. Quando o time de Odair Hellmann subiu ao campo para a partida, vaias. Quando os comandados de Jorge Jesus subiram, aplausos e fumaça.

Até o tradicional canto em homenagem ao treinador português pôde ser ouvido: “Olê, olê, olê, olê… Mister! Mister!”.

Apontada como affair de técnico do Flamengo, advogada se defende

Coronavírus: a pandemia vai tornar o mercado de trabalho ainda mais difícil para as mulheres?

Como muitas mulheres com uma carreira de sucesso, Simone Ramos sente que teve de trabalhar mais do que qualquer homem para chegar ao topo.

Executiva e gerente de risco do grupo global de seguros THB em São Paulo, Ramos diz que ser uma líder feminina em um setor dominado por homens a forçou a “ser mais forte” e a se “superar todos os dias”.

“Logo no início da minha carreira, percebi que precisava deixar o cargo mais tarde, precisava estudar mais, precisava me provar três vezes mais do que qualquer homem”, diz ela.

Leia também: A dura retomada do trabalho com filhos e sem aulas

Ramos também é consultora da AMMS (Associação das Mulheres no Mercado de Seguros) e deve lançar um livro sobre o assunto em outubro deste ano.

Ela diz às mulheres mais jovens que todas podem chegar ao topo com “foco, determinação e objetivos claros”.

Mas, como outros especialistas, ela está preocupada com as pressões extras que estão surgindo nas carreiras das mulheres durante a pandemia — e se isso pode acabar tornando tudo ainda mais complicado.

‘Dupla jornada’

A situação é particularmente difícil nas famílias em que os pais tentam trabalhar em casa enquanto estudam à distância ou cuidam de outros parentes.

De acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho), as mulheres ainda representam três quartos de todo o trabalho não remunerado.

“Não é segredo que as mães ainda carregam a maior parte do fardo de cuidados infantis e trabalho doméstico na maioria das famílias”, diz Justine Roberts, fundadora e diretora executiva da Mumsnet, a maior rede online para pais do Reino Unido.

Roberts diz que essa realidade está “pressionando” as mulheres e deixando as mães particularmente “preocupadas”.

“As mães estão preocupadas com o risco de demissão ou de problemas no trabalho porque não são capazes de desempenhar seu trabalho tão bem quanto de costume.”

“Mesmo que as mulheres sintam que seu emprego ou renda estão relativamente seguros, muitas estão dizendo que simplesmente não podem continuar assim por muito mais tempo.”

Leia mais: Pandemia lançou mundo do trabalho em ‘crise inédita’, diz OIT

Ramos salienta que as mulheres tradicionalmente realizam uma “dupla jornada” em casa quando o dia de trabalho termina.

Agora, a maioria das mulheres que ela conhece “está tentando trabalhar nos dois turnos ao mesmo tempo” — e o custo disso para a saúde mental está levando algumas a pensar em desistir e largar o emprego durante a pandemia.

Locais de trabalho estão ultrapassados

“Nós realmente precisamos entender a realidade de como as mulheres estão no local de trabalho”, diz Allyson Zimmermann, diretora da Catalyst, uma ONG global que trabalha com empresas para melhorar ambiente de trabalho para mulheres.

“O sistema está ultrapassado. E, quando você olha para isso, é do interesse das empresas encontrar um novo normal no local de trabalho pós-covid.”

A Catalyst passou anos acompanhando as carreiras de 10 mil graduados em MBA, homens e mulheres, das 26 principais escolas de negócios da Ásia, Canadá, Europa e EUA.

Em sua pesquisa, a organização observou como a falta de opções flexíveis de trabalho afeta a motivação das mulheres quando elas entram na maternidade.

Mas também existem preconceitos implícitos que agem fortemente para retardar o progresso das mulheres, independentemente de sua experiência ou se elas têm ou não filhos.

Por exemplo, as mulheres nos estudos da Catalyst eram mais propensas que os homens a começar em um cargo mais baixo em seu primeiro emprego pós-MBA. E quando os homens trabalhavam longas horas, essa estratégia parecia ajudar suas carreiras, mas não as mulheres.

Os graduados do sexo masculino eram recompensados ​​com aumentos salariais assim que alternavam entre empresas, mas os salários das mulheres pareciam aumentar apenas depois que provassem seus talentos primeiro a seus gerentes.

“As mulheres precisam melhorar constantemente seu desempenho, enquanto os homens são promovidos com base no potencial”, diz Zimmermann.

“Existe essa percepção de que, se as mulheres estivessem fazendo exatamente a mesma coisa que os homens, elas avançariam. E a verdade é que não. As mulheres costumam ter um padrão muito mais alto que os homens. É um viés muito inconsciente.”

A crise econômica dificulta

Um novo estudo americano feito por acadêmicos de diferentes universidades indica que esses preconceitos podem ressurgir fortemente durante crises econômicas.

O artigo descobriu que as mulheres que tentam ingressar nos cargos mais altos das empresas — o conselho de administração, por exemplo — passam por situações muito mais difíceis quando as empresas atravessam uma crise.

Depois de analisar 50 mil eleições nos conselhos de 1.100 empresas de capital aberto entre 2003 e 2015, os pesquisadores descobriram que os acionistas normalmente ficavam felizes em apoiar as diretoras quando tudo estava indo bem.

No entanto, se a empresa tivesse problemas ou se houvesse uma crise, era muito mais provável que retirassem seu apoio à candidata.

Essas mulheres mantinham padrões muito mais altos do que seus pares e eram mais propensas a deixar a empresa nos anos seguintes.

Coautora do estudo, Corinne Post, da Universidade Lehigh, no Estado americano da Pensilvânia, diz que “é difícil encontrar outra explicação além dos preconceitos em torno dos compromissos das mulheres ou se elas estão realmente trabalhando tão duro quanto deveriam”.

Outra coautora, Arjun Mitra, da Universidade do Estado da Califórnia, acrescenta que as empresas estavam minando seu talento feminino “em um momento em que poderiam se beneficiar mais das qualidades de liderança feminina”.

“Isso é um sinal muito forte de que as empresas não apoiam mulheres em cargos de liderança.”

Mulheres com salários mais baixos também estão sendo afetadas

O mundo fez grandes melhorias em direção à igualdade de gênero nos últimos 50 anos, mas levará pelo menos mais um século para que homens e mulheres acabem com as lacunas no local de trabalho, de acordo com o Fórum Econômico Mundial (WEF).

E a covid-19 já está impactando as mulheres em faixas mais baixas de renda.

A crise econômica destruiu o emprego das mulheres mais do que os homens porque está atingindo setores econômicos onde as mulheres estão super-representadas na força de trabalho, como hotelaria, alimentação, varejo e manufatura.

Na América Central, por exemplo, 59% das mulheres estão empregadas nesses setores, enquanto no Sudeste Asiático são 49% e na América do Sul 45%.

Nos EUA, o desemprego feminino é maior que o masculino.

“Crises anteriores mostraram que, quando as mulheres perdem seus empregos, aumenta seu envolvimento no trabalho não remunerado. E que, quando os empregos são escassos, as mulheres frequentemente têm oportunidades negadas de emprego disponíveis aos homens”, alerta a Organização Internacional do Trabalho (OIT).

‘Um passo atrás e dois adiante’

Seja qual for o impacto, a pandemia passará e Simone Ramos acredita que dará lugar a uma “nova realidade” à qual as empresas já começaram a se adaptar.

Ela acredita que as empresas estão começando a ter uma “aparência mais compassiva” e oferecerão opções de trabalho mais flexíveis para atender às circunstâncias pessoais dos funcionários como um padrão.

“Acho que vamos dar um passo atrás e dois passos adiante”, diz Luciana Barreto, diretora executiva da M Square, uma empresa de gerenciamento de ativos com um portfólio global no valor de US$ 1 bilhão (R$ 5,3 bilhões).

Barreto diz que as mulheres estão cada vez mais conscientes da importância das carreiras delas “para libertá-las e completá-las”, para que “a luta pela igualdade de gênero não termine aqui”.

Mas ela acredita que, no mercado de trabalho pós-pandemia, será ainda mais crucial que as mulheres “tomem posse” de suas carreiras e questionem se as empresas para as quais elas querem trabalhar realmente merecem valor.

Allyson Zimmermann concorda e diz que geralmente diz às estudantes de negócios que olhem o que está acontecendo no topo das empresas antes de se candidatarem a empregos lá.

“Quando você procura seu empregador, não procura a perfeição, mas o progresso. Se você não se vê representado na liderança, ou não vê que eles estão trabalhando ativamente para isso… então eu procuraria em outro lugar “, diz ela.

Porto vence o clássico diante do Sporting e garante o 29º título português

O Porto conquistou o 29º título português de sua história, ao vencer, nesta quarta-feira, o clássico diante do Sporting, por 2 a 0, no Estádio do Dragão, em duelo válido pela 32ª rodada. Com a vitória, o time do técnico Sergio Conceição chegou aos 79 pontos, oito a mais que o Benfica. Restam apenas duas rodadas para o final da competição.

O primeiro tempo foi bastante disputado. Enquanto o domínio era do Porto, que forçou o goleiro Maximiano a fazer pelo menos três boas defesas, o Sporting apostava nas bolas alçadas na área. Apesar das várias chances criadas, o placar não foi alterado nos primeiros 45 minutos.

Na etapa final, o Porto se impôs e conseguiu os dois gols e poderia ter marcado mais. Vieira, com um belo chute, acertou o travessão de Maximiano. Mas, aos 19 minutos, Danilo Pereira fez um golaço, ao acertar linda cabeçada, após escanteio cobrado por Alex Teles pela direita.

Nos últimos instantes do jogo, Otavio fez ótima assistência para Marega. O voluntarioso atacante demonstrou grande categoria, ao encobrir o goleiro adversário. A festa dos jogadores em campo foi incrível. Pena o estádio estar vazio por causa da pandemia do coronavírus.

Luxemburgo volta ao Palmeiras após se recuperar do novo coronavírus

O técnico Vanderlei Luxemburgo voltou a comandar o treino do Palmeiras nesta quarta-feira, na Academia de Futebol. Ele estava afastado do clube após contrair o novo coronavírus.

Recuperado, Luxemburgo comemorou seu retorno ao dia a dia do Palmeiras. O treinador prepara a equipe para a retomada do Campeonato Paulista. O próximo jogo será na quarta-feira, no clássico contra o Corinthians, na casa do rival.

“Estou muito feliz por voltar. Voltei e já participei da parte tática do time e deu para ensaiar algumas coisas. Estava recebendo informações todos os dias e trabalhando de casa com os meus assistentes. Deu para chegar já sabendo do estágio em que eu ia encontrar tudo. Ficar em casa e sem trabalhar é ruim, principalmente para quem estava acostumado à rotina e à agitação do futebol. Voltar à ativa e se sentir útil de novo é muito bom”, disse Luxemburgo ao site do Palmeiras.

Luxemburgo havia sido afastado das atividades no dia 3 de julho, quando recebeu resultado positivo no teste de coronavírus. Ele permaneceu isolado em casa até ser liberado pelos médicos.

Surfistas desconhecidos em sessão dos sonhos Indonésia 

Dois surfistas desconhecidos recentemente pegaram uma das melhores ondas do mundo na ponta sul da Ilha Masokut na Indonésia

Surfistas desconhecidos em sessão dos sonhos Indonésia

Mesmo que você nunca ouviu falar pelo nome, provavelmente já o viu essa onda ultra-consistente na ponta sul da Ilha Masokut, que já apareceu em muitos filmes de surf.

Normalmente, como uma das ondas mais conhecidas do mundo, seria bastante movimentada. Mas como o surf só foi aberto a moradores locais e expatriados da Indonésia.

Os surfistas locais se deram bem, sem crowd, estão aproveitando este incrível ímã de ondas perfeitas e tubulares.

Há alguns dias dois surfistas não identificados foram filmados por Kandui Resort, aproveitando este mar dos sonhos.

Assista abaixo :

Os picos na Indonésia reabriram no final de junho, mas com restrições estritas em relação aos testes da Covid, e apenas para os habitantes locais e estrangeiros que já vivem na Indonésia.

Isso significa que algumas das melhores ondas do mundo estão sendo aproveitadas apenas por uma minoria de pessoas sortudas.

Com a economia local confiando fortemente no turismo, esperamos que logo tudo isso passe, para que mais surfistas possam estar neste paraíso.

#estamosnatorcida

Rui Costa que clubes mudarão conceitos após efeitos da pandemia: ‘Busca será por planejamento’

A sensação de que a pandemia do impacto do novo coronavírus será fazer com que os clubes revejam conceitos marca o executivo de futebol Rui Costa. Convidado do “De Casa Com o LANCE!” nesta quarta-feira, o profissional que tem trabalhos por Grêmio, Chapecoense, Athletico-PR e Atlético-MG traçou o panorama do futebol.

– A pandemia revelou as desigualdades do ponto de vista social, econômico, vemos muita gente morrendo… Falar de futebol no meio disto tudo é muito complexo, mas temos de lembrar que muitas pessoas vivem do futebol, dependem dele para viver – e, em seguida, ressaltou:

– Muitas pessoas pensam em jogadores que ganham R$ 500 mil, R$ 400 mil por mês, mas a maioria do sistema é formado por pessoas que ganham R$ 1 mil, R$ 1,5 mil mensais. Tem jogadores com três meses de contrato. É muito difícil ter um norte para pensar. O futebol tem sua importância, muita gente depende disto. Foram feitos protocolos de alto nível, não sei se era o momento da volta do futebol, no pico mais alto da pandemia, mas o tempo vai demonstrar se agimos de forma correta – completou.

Em seguida, o executivo fez um alerta sobre a prioridade do momento.

– O futebol precisa voltar? Sim, mas tudo tem de ser levado em conta. Preservando vidas, dignidade de trabalho… Temos de aprender a sermos mais humanos – declarou.

VEJA NA ÍNTEGRA

Rui Costa indicou como tende a ser o mercado do futebol brasileiro.

– Acredito que contratos, valores, serão regidos pelo mercado. Todo dia há uma grande tese, hoje se fala de teto salarial na Europa. Eu prefiro acreditar no controle, em compliance. No Brasil, deve haver uma mudança de mentalidade e a necessidade de um planejamento maior. Não dará para rodízios, comprar quatro, cinco, seis jogadores de uma vez só em uma temporada – e detalhou:

– Não é uma posição corporativista, mas é natural passar a se entender a longevidade dos profissionais. Vão ter de desvincular o CEO, o executivo do resultado do campo. A não ser, claro, que ele seja responsável diretamente pelo que está acontecendo. Agora, não é uma insatisfação de torcedor que deve mudar tudo. Porque o torcedor é movido por paixão. Digo isso há muito tempo, no Grêmio, na Chapecoense, no Athletico-PR, no Atlético-MG… O futebol brasileiro passará a prestigiar mais os dirigentes de futebol. Dar a ele ciclos de trabalho e o valor que ele precisa – completou.

Costa também falou sobre a força que o executivo de futebol ganhou com o tempo.

– O executivo ganhou uma notoriedade que às vezes é boa e às vezes não é tão segura. O fundamental é não acreditar que é um mito, pois se acreditar começa mal. Tive um protagonismo como outros profissionais como Alexandre Mattos, de vir mais para a linha de frente. Assumi muito a responsabilidade, dei a cara para bater. Isso gera um desgaste – afirmou.

Aos seus olhos, haverá profissões dos bastidores do futebol que ganharão relevância.

– O mercado vai precisar de profissionais mais qualificados, nas áreas de diretor, CEO, de psicólogo, de um diretor de comunicação que possa comunicar o torcedor de suas realidades sem frustrá-lo, sem que ele deixe de amar o seu clube ou de consumir seus produtos. Do ponto de vista profissional é muito importante – disse.

SOBRE O ‘DE CASA COM O LANCE!’

O “De casa com o LANCE!” é um programa apresentado exclusivamente por meio do Instagram do site. No formato home office, nossa equipe irá receber convidados de diferentes esferas, como atletas, profissionais e influenciadores digitais, além da participação dos leitores com perguntas ao vivo. Para não ficar de fora, acompanhe o nosso Instagram (@diariolance) e o Twitter (@lancenet)

Palmeiras acerta com ex-volante do Inter, de 19 anos, para jogar na base

O Palmeiras contratou um volante que se destacou no Inter para atuar nas categorias de base do clube. Já está registrado na Federação Paulista de Futebol e na Confederação Brasileira de Futebol o contrato até 31 de dezembro de 2022 com Jonathan, que fez 19 anos em março e comemorou o acerto.

– Feliz e muito motivado para este novo desafio. Poder vestir essa camisa tão importante do futebol brasileiro e mundial. Não vão faltar entrega, dedicação e muito suor para honrar toda confiança depositada em meu trabalho. Obrigado ao Palmeiras pela oportunidade, toda diretoria pelo respaldo e minha família e meu staff pelo suporte. Agradeço muito a Deus por tudo – escreveu Jonathan em sua publicação no Instagram, com foto assinando contrato.

Confira a publicação no Instagram de Jonathan comemorando o acerto:

Jonathan destacou-se na geração nascida em 2001 e que acostumou-se a conquistar títulos no Inter, entre eles a Nike Premier Cup, uma espécie de Mundial sub-15, em 2016. O volante de 1,96 m é considerado técnico por conta da qualidade de seu passe, visão de jogo e capacidade de marcação. O jovem aparece em diversas convocações para as categorias de base da Seleção Brasileira desde o sub-15 e já revelou se inspirar em Busquets, do Barcelona.

Atlético-MG revela que Tardelli vai precisar passar por cirurgia

O Atlético-MG informou que o atacante Diego Tardelli vai precisar passar por cirurgia nesta quinta-feira. O jogador sofreu uma fratura-luxação do tornozelo direito com ruptura ligamentar e lesão da cartilagem durante jogo-treino contra o América-MG, nesta quarta, em preparação para o retorno do Campeonato Mineiro.

O lance da lesão ocorreu na quarta etapa do jogo-treino realizado nesta quarta-feira. Diego Tardelli havia iniciado a atividade na reserva e entrou na terceira etapa. O clube não estimou um prazo para o retorno do jogador aos gramados

O atacante retornou ao Atlético-MG antes da pandemia do novo coronavírus. Após a volta, ele participou apenas de uma partida, no clássico contra o Cruzeiro, pelo Campeonato Mineiro.

O departamento médico do Atlético-MG já contava com o zagueiro Gabriel, com problemas no púbis, e com o volante Gustavo Blanco, em recuperação de lesão no quadril. Cazares e Bruno Silva estão na fase de transição física, com treinos individuais de recondicionamento.

Sem Diego Tardelli, o técnico Jorge Sampaoli tem à disposição para a posição de centroavante apenas o jovem Marrony, que marcou dois gols na vitória por 3 a 2 no jogo-treino contra o América-MG.

Documento do STJ indica que Witzel comandava fraudes na saúde do Rio

O Jornal da Record teve acesso a um documento do Superior Tribunal de Justiça que indica que o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, comandava uma suposta estrutura com fortes indícios de fraude na saúde pública durante a pandemia. O processo de impeachment contra Witzel está em curso.
 
A sessão desta quarta-feira (15) da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro foi a terceira das dez realizadas para que o governador Wilson Witzel se defenda no processo de impeachment.

Witzel também responde pelas suspeitas de corrupção na Justiça.

O inquérito no STJ investiga a suposta participação de Witzel em irregularidades na compra de respiradores e na implantação de hospitais de campanha. A investigação apura também possíveis ilegalidades, envolvendo empresários e ex-secretários de estado. Diversos delitos podem ter sido praticados de forma sofisticada para parecerem atos legais de interesse público.

Em um dos trechos do documento a que o Jornal da Record teve acesso, o ministro João Otávio Noronha ressalta que as provas coletadas, até o momento, indicam que dentro do poder executivo do estado do Rio de Janeiro foi criada uma estrutura hierárquica a partir do governador, que permitiu contratações com fortes indícios de fraudes na saúde pública.

Em nota, Wilson Witzel afirmou que assim que surgiram as primeiras denúncias determinou quebra de sigilo dos contratos e abriu sindicância para apurar o ocorrido.