Em noite de grandes combates, Lewis derrota Oleynik por nocaute técnico na luta principal do UFC Vegas 6

Publicado em 09/08/2020 por: Diogo Santarém

Em noite de grandes combates, Lewis derrota Oleynik por nocaute técnico na luta principal do UFC Vegas 6Lewis despachou Oleynik por nocaute técnico na luta principal (Foto reprodução Combate)

publicidade

Fazendo valer o seu grande poder de nocaute, Derrick Lewis foi o nome do UFC Fight Night 174, realizado na noite deste sábado (8), em Las Vegas (EUA). Escalado para a luta principal contra o russo Alexey Oleynik, o peso-pesado americano resistiu a um difícil primeiro round e, com 21s do segundo assalto, despachou Oleynik por nocaute técnico.

No co-main event, após três anos sem vencer, o ex-campeão Chris Weidman derrotou Omari Akhmedov por decisão unânime dos jurados. Ainda no card principal, Darren Stewart e Beneil Dariush anotaram triunfos importantes – por finalização e nocaute, respectivamente -, enquanto Yana Kunitskaya superou Stoliarenko.

Lewis resiste bem e nocauteia Oleynik

Contrariando as expectativas, Derrick Lewis começou o combate contra Alexey Oleynik – um especialista na luta agarrada – derrubando o russo e trabalhando no ground and pound. Não demorou muito, porém, para Alexey raspar “Black Beast” e começar a soltar seu arsenal de finalizações. Coube ao americano resistir.

Na volta para o segundo assalto, Lewis arriscou uma joelhada voadora e, na sequência, acertou um potente cruzado de direita que desnorteou Oleynik. Sentindo o bom momento, Derrick castigou o peso-pesado da ATT até a interrupção do árbitro Herb Dean, aos 21 segundos. Foi o terceiro triunfo seguido do “Black Beast”, enquanto Oleynik voltou a perder após vitória contra o brasileiro Fabrício Werdum na “ilha da luta”.

Weidman volta à coluna das vitórias

Ainda não foi aquele Chris Weidman que destronou Anderson Silva e reinou na divisão dos médios do UFC, mas o ex-campeão deu sinais de que está de volta. Diante de Omari Akhmedov no co-main event, Weidman mostrou o que tem de melhor e na base da luta agarrada venceu o russo por decisão unânime dos jurados.

O primeiro assalto teve domínio do americano sobre Akhmedov, que igualou as ações em seguida. No terceiro e último round, com ambos visivelmente cansados, Weidman conseguiu a queda e, por cima, não deixou o russo respirar. Sem ganhar uma luta desde 2017, o “All-American” finalmente voltou a vencer.

Dariush nocauteia e inglês finaliza

Abrindo o card principal, Beneil Dariush já vinha machucando o americano Scott Holtzman, até que um golpe rodado do iraniano definiu a luta após cerca de 4 minutos. Holtzman caiu praticamente apagado, e Dariush nem precisou acertar mais nenhum soco para somar seu quinto triunfo seguido no peso leve.

Pela divisão dos médios, Darren Stewart surpreendeu e, enquanto os fãs esperavam um nocaute na luta, finalizou Maki Pitolo com uma justa guilhotina no primeiro round. Depois de derrubar Piloto, o inglês não teve dificuldades para ajustar a posição e, desta forma, anotar mais uma vitória, sua 12ª como profissional.

Turman é nocauteado por americano

Único brasileiro em ação no UFC Vegas 6, Wellington Turman teve pela frente o americano Andrew Sanchez em disputa na divisão dos médios. E o duelo iniciou equilibrado, com Sanchez pressionando Turman contra a grande, enquanto o brasileiro se defendia e tentava contragolpear o rival.

Depois de alguns segundos, os dois lutadores se desvencilharam e foram para o centro do octógono, começando um show de trocação. No “fogo cruzado”, porém, quem levou a melhor foi o americano, que com uma bomba de direita na têmpora, nocauteou Turman na reta final do primeiro round. Com o resultado, Wellington voltou a perder após bater o compatriota Markus Maluko, em novembro de 2019.

Mais destaques do card preliminar

Além do bom triunfo de Sanchez sobre o brasileiro Wellington, o card preliminar do UFC Vegas 6 reservou outros bons momentos, como as atuações de gala de Nasrat Haqparast e Youssef Zalal, que derrotaram Alexander Muñoz e Peter Barrett, respectivamente, por decisão unânime dos jurados após domínio total.

Gavin Tucker, por sua vez, despachou Justin Jaynes com um mata-leão no terceiro assalto, após passar quase todo o duelo em busca da finalização. Em boa fase, o canadense somou sua terceira vitória em quatro lutas no Ultimate. Já Kevin Holland e Joaquin Buckley fizeram um confronto pautado na trocação, que terminou com nocaute avassalador de Holland, colocando o protetor bucal do adversário para voar.

Fechando o card preliminar em grande estilo, Tim Means derrotou Laureano Staropoli por unanimidade após três rounds agitados. O argentino da equipe Chute Boxe Diego Lima até começou melhor, mas no decorrer do duelo, viu Means usar sua experiência para virar a luta, saindo vencedor com um triplo 29 x 28.

RESULTADOS COMPLETOS:

UFC Fight Night 174
UFC Apex, em Las Vegas (EUA)
Sábado, 8 de agosto de 2020

Card principal
Derrick Lewis derrotou Alexey Oleynik por nocaute técnico no 2R
Chris Weidman derrotou Omari Akhmedov por decisão unânime dos jurados
Darren Stewart finalizou Maki Pitolo com uma guilhotina no 1R
Yana Kunitskaya derrotou Julija Stoliarenko por decisão unânime dos jurados
Beneil Dariush derrotou Scott Holtzman por nocaute técnico no 1R

Card preliminar
Tim Means derrotou Laureano Staropoli por decisão unânime dos jurados
Kevin Holland derrotou Joaquin Buckley por nocaute técnico no 3R
Nasrat Haqparast derrotou Alexander Muñoz por decisão unânime dos jurados
Andrew Sanchez derrotou Wellington Turman por nocaute no 1R
Gavin Tucker finalizou Justin Jaynes com um mata-leão no 3R
Youssef Zalal derrotou Peter Barrett por decisão unânime dos jurados
Irwin Rivera derrotou Ali Alqaisi por decisão dividida dos jurados

CSA supera desfalques por covid-19 e supera Guarani no Rei Pelé

O CSA superou os desfalques causados pelo novo coronavírus e conseguiu derrotar o Guarani por 1 a 0 na noite deste sábado, na estreia da Série B do Campeonato Brasileiro, no estádio Rei Pelé. O time campineiro mostrou que continua instável desde que o futebol retornou após a parada por conta da pandemia.

O resultado levou o CSA aos primeiros três pontos, ao lado de Operário, Avaí, Juventude, América Mineiro e Vitória. O Guarani, por outro lado, buscará a recuperação na próxima rodada.

O CSA precisou se virar às pressas para conseguir entrar em campo contra o Guarani. Na noite da última sexta, o clube divulgou que oito jogadores contraíram covid-19 e estavam fora do duelo. Apesar dos inúmeros desfalques, Eduardo Baptista conseguiu montar um time competitivo, que saiu em busca da vitória desde os minutos iniciais.

Aos 16, Renatinho colocou a bola para dentro da área, Alan Costa ajeitou para Geovane, que soltou o pé para fazer 1 a 0. O gol surpreendeu o Guarani, que havia criado uma bela oportunidade com Lucas Crispim. O atacante mandou rente à trave do goleiro Thiago Rodrigues.

Renatinho era o jogador mais atento do CSA e conseguiu dar o ritmo no primeiro tempo. No desespero, o Guarani chegou com Júnior Todinho, que não conseguiu desviar a bola cruzado por Waguinho. Bidu também tentou empatar, mas sem sucesso.

No segundo tempo, o Guarani ficou com a posse de bola e empurrou o CSA para o campo defensivo. Aos 18 minutos, Bidu, em cobrança de falta, jogou caprichosamente no travessão. A entrada de Rafael Costa na vaga de Bruno Sávio foi crucial para empurrar os defensores do rival.

No entanto, o time campineiro acabou perdendo o fôlego. Apesar de ter mais de 70% de posse de bola, o Guarani não conseguiu ser eficiente e infiltrar a área do CSA, que chegou a terminar o duelo com quatro zagueiros, tudo para segurar o adversário e sair do duelo com três pontos no bolso, o que acabou conseguindo.

Na próxima rodada, o Guarani enfrenta o Cruzeiro na terça-feira, às 20h30, no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas. Na quarta-feira, às 16h30, o CSA visita a Chapecoense na Arena Condá, em Chapecó (SC).

FICHA TÉCNICA:

CSA 1 x 0 GUARANI

CSA – Thiago Rodrigues; Caio Felipe, Alan Costa, Luciano Castán e Rafinha; Richard Franco, Geovante, Nadson (Willian Rocha) e Renatinho (Netto) (Lucas Dias); Rafael Bilu (Allano) e Diego Maurício (Alecsandro). Técnico: Eduardo Baptista.

GUARANI – Jefferson Paulino; Pablo, Wálber, Bruno SIlva e Bidu; Deivid (Elias Carioca), Arthur Rezende (Renanzinho) e Lucas Crispim; Júnior Todinho, Bruno Sávio (Rafael Costa) e Waguininho. Técnico: Thiago Carpini.

GOL – Geovante, aos 16 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Alecsandro, Caio Felipe, Richard Franco, Thiago Rodrigues e Luciano Castán (CSA); Arthur Rezende, Bruno Sávio e Waguininho (Guarani)

ÁRBITRO – Marco Aurélio Fazekas Ferreira (MG).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

Campeão da Copa do Nordeste, Ceará perde do Sport em estreia no Brasileirão

De volta à primeira divisão, o Sport começou bem sua caminhada no Campeonato Brasileiro ao vencer o Ceará, por 3 a 2, na noite deste sábado, na Ilha do Retiro, em Recife (PE). Destaque para o atacante Élton que marcou dois gols. Jonatan Gomez também deixou o seu para os mandantes, enquanto Cléber e Victor Jacaré anotaram para o campeão da Copa do Nordeste.

No jogo disputado com portões fechados, por conta da pandemia do novo coronavírus, o Sport somou seus primeiros três pontos, enquanto o Ceará está zerado.

O primeiro tempo foi movimentado e com quatro gols. Antes de a bola estufar as redes, Élton acertou o travessão em cabeçada aos 13 minutos. Logo depois, aos 19, Patric cruzou na medida e Élton abriu o marcador.

Aos 30 minutos, o árbitro de vídeo (VAR) auxiliou na marcação de pênalti para o Sport. Fabinho colocou a mão na bola. Élton bateu no canto direito e ampliou aos 33 minutos.

O Ceará diminuiu dois minutos depois com Cléber. Ele recebeu de Fernando Sobral e finalizou sem chances para Maílson. Mas os donos da casa ampliaram aos 41 minutos. Jonatan Gomez pegou bola rebatida e bateu de primeira.

No segundo tempo, o Ceará foi atrás do prejuízo. Aos 11 minutos, Victor Jacaré diminuiu para os visitantes após aproveitar cruzamento de Cléber. Apesar do gol no início, o Ceará não teve força para empatar o jogo.

O Sport voltará a campo na próxima quinta-feira, às 20 horas, quando visitará o Vasco no estádio São Januário, no Rio de Janeiro, pela segunda rodada. O Ceará, na quarta-feira, às 21h30, receberá o Grêmio o Castelão, em Fortaleza.

FICHA TÉCNICA:

SPORT 3 x 2 CEARÁ

SPORT – Maílson; Patric, Maidana, Adryelson e Sander; Willian Farias, Betinho e Jonatan Gómez (João Igor); Marquinhos (Lucas Mugni), Rafael Luiz (Maxwell) e Elton (Hernane). Técnico: Daniel Paulista.

CEARÁ – Fernando Prass; Samuel Xavier, Klaus, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Charles (Ricardinho), Fabinho (Lima), Fernando Sobral e Mateus Gonçalves (Rick); Cléber (Bergson) e Rafael Sóbis (Victor Jacaré). Técnico: Guto Ferreira.

GOLS – Elton, aos 19 e aos 33 minutos (pênalti), Cléber, aos 35 minutos, Jonatan Gomez, aos 41 minutos do primeiro tempo. Victor Jacaré, aos 11 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS – Adryelson, Rafael Luiz, Élton (SPORT); Fabinho, Samuel Xavier, Fernando Sobral (CEARÁ).

ÁRBITRO – Edina Alves Batista (SP/Fifa).

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio da Ilha do Retiro, em Recife (PE).

Com 5 milhões de infectados, EUA são país com mais casos de covid-19

Os Estados Unidos ultrapassaram neste sábado o número de 5 milhões de pessoas infectadas com o novo coronavírus, de acordo com uma contagem da Reuters.

Com um em cada 66 residentes infectados, os Estados Unidos lideram o mundo em casos de Covid-19, de acordo com uma análise da Reuters. O país acumula mais de 160.000 mortes, quase um quarto do total mundial.
 

Veja também: Paris impõe uso obrigatório de máscaras em áreas movimentadas

O marco sombrio veio ao mesmo tempo em que o presidente Donald Trump assina decretos com o objetivo de fornecer alívio econômico aos norte-americanos afetados pela pandemia do coronavírus, depois que a Casa Branca não conseguiu chegar a um acordo com o Congresso.

Na sexta-feira, o Departamento do Trabalho dos EUA informou que o crescimento do emprego nos EUA desacelerou consideravelmente em julho, ressaltando a necessidade urgente de ajuda governamental adicional.

Leia também: Venezuela condena ex-militares dos EUA por tentativa de invasão

Na quarta-feira, o dr. Anthony Fauci, principal autoridade em doenças infecciosas do país, disse à Reuters que pode haver pelo menos uma vacina que funcione e seja segura até o final do ano.

América-MG começa bem a Série B e vence a Ponte Preta fora de casa

O América-MG começou bem na Série B de 2020. O Coelho derrotou a Ponte Preta por 1 a 0, gol contra de Dawhan, mas que foi creditado para o lateral-esquerdo João Paulo. O duelo foi neste sábado, 8 de agosto, às 21h, no Canindé, em São Paulo.

O gol americano saiu depois de um pênalti mal marcado pelo árbitro Paulo Renato Moreira da Silva Coelho que viu toque de mão de Apodi dentro da área. A bola bateu na barriga do lateral da Macaca João Paulo errou a cobrança e na sobra, o jogador da Ponte empurrou para as redes do time paulista.

A equipe de Campinas teve um pênalti, também mal marcado, mas o João Paulo da Ponte também errou, chutando na trave, permitindo que o Coelho começasse a Série B com três pontos na conta.

Tirando as falhas da arbitragem, o time de Lisca mostra que pode se credenciar a uma das quatro vagas do acesso para a elite nacional em 2021. Foi um time equilibrado e ao vencer fora de casa um dos rivais que também deve brigar pelo G4, dá moral para a equipe americana após ser eliminada no Mineiro.

Próximos jogos

O Coelho terá pela frente o Cuiabá na segunda rodada do Brasileiro da Série B. O duelo será terça-feira, 11 de agosto, às 21h30, no Independência. Já a Macaca encara, no mesmo dia, o Brasil de Pelotas, fora de casa, às 19h15.

FICHA TÉCNICA

PONTE PRETA 0 X 1 AMÉRICA-MG
Data-Horário: 8 de agosto, às 21h
Estádio-Local: Canindé, São Paulo(SP)
Arbitragem: Paulo Renato Moreira da Silva Coelho(RJ)
Assistentes: Maxwell Rocha Silva e Ruan Luiz de Barros Silva(ambos de AL)
Cartões amarelos: Luís Oyama(PON),Zé Roberto(PON)
Cartões vermelhos:-

Gols: João Paulo, aos 42’-1ºT(0-1)

Ponte Preta: Ivan, Apodi, Wellington Carvalho, Rayan e Ernandes; Luís Oyama(Faye, aos 42’-2ºT), Dawhan(Neto Moura, aos 29’-2ºT), João Paulo e Camilo(Moisés, aos 22’-2ºT); Bruno Rodrigues e Zé Roberto Técnico: João Brigatti

América-MG: Airton, Diego Ferreira, Eduardo Bauermann, Moisés e João Paulo; Zé Ricardo, Juninho, Alê(Lucas Luan, aos 45’-2ºT), Matheusinho, Felipe Augusto(Léo Passos, aos 24’-2º) e Vitão(Rickson, aos 48’-2ºT). Técnico: Lisca

Times ‘novatos’ começam bem na Série C do Campeonato Brasileiro

A primeira rodada da Série C do Campeonato Brasileiro começou com o pé direito para os times recém-promovidos da Série D. Atuando em seus domínios, Ituano e Brusque venceram, enquanto o Manaus empatou. Nos outros jogos, uma vitória do São José e empate sem gols entre Paysandu e Santa Cruz no duelo nordestino.

O Ituano mandou seu jogo em Osasco e soube aproveitar o cansaço do Tombense, finalista do Campeonato Mineiro. Ganhou por 3 a 0 com gols de Léo Rigo, Eduardo Lopes e Luiz Paulo. O time mineiro desperdiçou um pênalti e ainda atuou boa parte do jogo com um jogador a menos.

Em Santa Catarina, o Brusque bateu o Ypiranga, por 2 a 1. O time da casa saiu na frente com Éverton Alemão, mas levou o empate com Cristiano ainda no primeiro tempo. O gol da vitória saiu somente aos 49 minutos do segundo tempo com Thiago Alagoano.

Ainda pelo Grupo B, em casa o São José-RS venceu o São Bento por 1 a 0, com gol de Rafael Tavares. O time paulista perdeu uma boa chance de empatar ao desperdiçar um pênalti na etapa final.

No Grupo A, em Manaus, o time da casa empatou por 1 a 1 com o Vila Nova-GO. Rodrigo Fumaça abriu o placar para os novatos no começo do segundo tempo, mas os goianos buscaram o empate aos 49 minutos com Rafael Donato. Quem não conseguiu mexer no placar foram Paysandu e Santa Cruz. O encontro teve tempos de pouca criatividade na Curuzu, em Belém (PA).

A primeira rodada ainda vai ter três jogos no domingo e dois na segunda-feira à noite. Na fase inicial, os 20 clubes foram divididos em dois grupos de 10. Eles se enfrentam entre si dentro de cada grupo em turno e returno (18 jogos). Os quatro melhores avançam à segunda fase, enquanto os dois piores de cada grupo vão ser rebaixados para a Série D.

Confira os jogos da 1ª rodada da Série C:

Sábado

São José-RS 1 x 0 São Bento-SP

Ituano-SP 3 x 0 Tombense-MG

Paysandu-PA 0 x 0 Santa Cruz-PE

Brusque-SC 2 x 1 Ypiranga-RS

Manaus-AM 1 x 1 Vila Nova-GO

Domingo

16h

Treze-PB x Imperatriz-MA

18h

Jacuipense-BA x Remo-PA

20h

Ferroviário-CE x Botafogo-PB

Segunda-feira

18h

Boa-MG x Volta Redonda-RJ

20h

Londrina-PR x Criciúma-SC

Enderson Moreira valoriza reação do Cruzeiro em vitória na estreia na Série B

O Cruzeiro sofreu, levou o empate aos 40 minutos do segundo tempo, mas garantiu a primeira vitória na Série B do Campeonato Brasileiro dois minutos depois. Na entrevista coletiva pós-jogo, no Mineirão, o técnico Enderson Moreira valorizou o poder de reação dos mineiros na vitória sobre o Botafogo-SP por 2 a 1.

“A equipe guerreou até o final. O poder de reação foi fantástico. O jogo foi dentro daquilo que esperávamos. Os adversários são bem preparados. A Série B é uma competição bem complicada. Precisamos comemorar, mas saber que estamos no início de trajetória. Só os jogos vão dar confiança, bagagem para que possamos nos qualificar mais”, analisou o treinador.

Nem mesmo o gol de Wellington Tanque no final do jogo tirou do sério Enderson Moreira. O treinador do Cruzeiro soube olhar para o lado positivo do primeiro susto da equipe na Série B.

“Uma equipe fica preparada para a competição na medida que sofre com alguns baques e consegue reagir. Foi muito importante tomar um gol aos 40 minutos e conseguir dar uma resposta rápida, diante de um adversário que veio para empatar, segurar o jogo… Temos que enaltecer esse espírito. Competimos muito. Uma equipe que correu, disputou e precisamos desse lado competitivo”, analisou.

Apesar da vitória, o Cruzeiro segue na lanterna da Série B. O clube mineiro foi punido pela Fifa com a perda de seis pontos por conta de uma dívida. Agora, o clube tem apenas três pontos negativos na tabela.

O Cruzeiro voltará a campo na próxima terça-feira, às 20h30, quando visitará o Guarani no estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas, pela segunda rodada. “Vamos ter um jogo muito difícil em Campinas contra o Guarani. Vamos passo a passo”, finalizou Enderson.

Thiago Galhardo garante união no Internacional: ‘O grupo está fechado’

A estreia do Internacional com vitória sobre o Coritiba, por 1 a 0, neste sábado à noite, no estádio Couto Pereira, tirou um peso das costas dos jogadores gaúchos. Quatro dias após serem eliminados do Estadual com derrota para o rival Grêmio, os colorados garantem que começaram vida nova. “O nosso grupo está fechado”, garantiu o meia Thiago Galhardo.

Ele entrou no jogo somente aos 22 minutos do segundo tempo, tendo sido poupado justamente pelo desgaste físico do Gre-Nal, ao lado do também meia Boschilia. Galhardo fez o passe para o gol único de Paolo Guerrero, aos 26 minutos.

“O Gaúcho é passado para nós. Agora estamos focados no Campeonato Brasileiro, que é de pontos corridos, e também na volta da Copa do Brasil. O grupo está fechado e provou isso hoje. O técnico fez algumas mudanças, mas quem entrou deu conta do recado. O time manteve o mesmo ritmo de jogo”, ressaltou Galhardo.

O meia ainda revelou outro ponto importante nos planos da comissão técnica. “Nós queremos somar pontos fora de casa, porque sabemos que em casa nosso time é muito forte. Isso mostra a importância destes primeiros três pontos”, apontou.

Para Guerrero, autor do gol da vitória, começar o Brasileiro vencendo ajuda a esquecer os momentos de decepção e de pressão após a eliminação nas semifinais do segundo turno do gaúcho. “Fiquei triste, chateado. Mas o futebol é assim mesmo e a gente precisa sempre pensar no próximo jogo. Eu sabia que o jogo aqui seria muito pegado, mas o time reagiu bem e mereceu vencer”, comentou.

Luxemburgo celebra título do Palmeiras: ‘A temporada fica mais leve’

Após se isolar como o maior vencedor do Campeonato Paulista, com nove títulos, o técnico Vanderlei Luxemburgo exaltou a conquista sobre o Corinthians, neste sábado, no Allianz Parque. O treinador disse que o troféu alivia a pressão em cima do elenco para o restante da temporada, mas também fez um alerta para os jogadores.

“A conquista foi difícil, importante. A temporada fica mais leve, mas os jogadores precisam saber que não terminou, tem muita coisa para acontecer”, afirmou Luxemburgo. O Palmeiras terá pela frente nesta temporada a disputa do Campeonato Brasileiro, que começa neste fim de semana, da Libertadores, que recomeça em setembro, e das oitavas de final da Copa do Brasil.

Luxemburgo foi contratado no fim de 2019 e iniciou os trabalhos com o elenco do Palmeiras no início deste ano. Ele está em sua quinta passagem pelo clube e tem contrato válido até o fim de 2021.

“O Palmeiras, quando me contratou, eu sabia da responsabilidade que tinha de voltar, pelo passado e pelo presente. Sabíamos que tínhamos que conquistar, e a primeira foi na Florida Cup, e agora o Campeonato Paulista que é muito difícil e as pessoas começaram a criar uma desconfiança, principalmente quando o Corinthians se classificou. Tentamos quebrar isso de que não ia ganhar porque era o Corinthians. É um grande adversário, difícil de ser batido, mas pode ser batido”, disse Luxemburgo.

O treinador revelou que teve de animar os jogadores para a disputa de pênaltis. O Palmeiras abriu o placar no segundo tempo do clássico, mas o Corinthians empatou no último lance. A equipe alviverde levou a melhor nas cobranças e faturou o 23º título estadual de sua história.

“Acalmei o pessoal, falei para ter calma porque tudo acontece no futebol. Eles (jogadores) estavam com a cabeça arriada. Com o campeonato ganho, de repente em dez segundos eles (Corinthians) empataram”, disse Luxemburgo.

O Palmeiras impediu o Corinthians de conquistar o tetra paulista pela primeira vez na história do futebol profissional. “Fiz meus jogadores entenderem que não era um desafio ganhar do Corinthians, e sim uma oportunidade”, exaltou o treinador.

Luxa ataca Jesus.’Temos de mudar porque ganhou uma Libertadores?’

São Paulo, Brasil

Não seriam os 68 anos, que iriam mudar a personalidade de Vanderlei Luxemburgo.

Nem se tornar o maior vencedor de Campeonatos Paulistas.

Com o de hoje, já soma nove.

Cinco vezes com o Palmeras, duas com o Santos, uma com o Corinthians e outra com o Bragantino.

Em vez de celebrar a façanha da retomada da carreira, o treinador decidiu aproveitar os holofotes e microfones para desafiar Jorge Jesus.

E mostrar sua revolta com a imprensa, e de maneira sutil, com o Flamengo, pela valorização dos treinadores estrangeiros.

“A única coisa que eu questiono é que tenhamos de mudar nossas características porque o futebol na Europa é mais rápido. Vamos com calma. Somos pentacampeões do mundo jogando em cima da nossa cultura. Claro que temos de aprender, fazer cursos.

“Mas não é mudar nossa essência pentacampeã do mundo, 11 vezes campeã do mundo interclubes e que tem toda uma história sem treinador estrangeiro. Temos de mudar agora por que o Jesus veio aqui e ganhou uma Libertadores? Aí temos de mudar porque o futebol é mais rápido?”

Luxemburgo havia decorado o discurso cheio de xenofobia.

E nacionalismo exagerado, desproporcional.

Justo ele que nunca venceu uma Libertadores.

O Brasil não conquista uma Copa desde 2002.

Há 18 anos.

E o Corinthians foi o último campeão do mundo brasileiro.

Em 2012.

Há oito anos.

E o Flamengo, com Jorge Jesus, não era apenas rápido.

Era envolvente, intenso, vencedor.

“O Zagallo em 70 jogou como o Barcelona joga, sem centroavante. Vamos respeitar a essência do futebol brasileiro e vamos cobrar que possamos aprimorar cada vez mais, estudar cada vez mais, mas sem mudar nossa essência.

“Eu não quero mandar recado para ninguém, porque o maior recado que um treinador poderia dar é ganhar taça. Levante taças.

“Só acho que um pessoal que não acompanha, saia do estúdio, da gravata, e vai assistir a uns treinamentos, para poder falar do que nós estamos fazendo. Só isso.”

Luxemburgo sabe que a maioria dos treinos é fechada à imprensa neste país.

“Acabou a Copa aqui no Brasil e o pessoal execrou os mais velhos. Não pode ser mais velho, né? Felipão e Parreira estavam lá. Então, tinha que colocar um mais jovem.

“O pessoal da imprensa não tem noção de quantos jovens foram queimados porque vocês criaram a tendência que tinha de ser mais jovens, despreparados ainda para assumir um grande clube.

“Perdemos alguns jovens com potencial muito grande para se tornar grandes treinadores”, diz, sem citar um único nome.

Luxemburgo segue ressentido pelo trabalho excepcional de Jorge Jesus no Flamengo.

E o clube do seu coração ter ido atrás de outro técnico estrangeiro para substituí-lo, o espanhol Domènec Torrent.

Não é porque ganhou o Paulista, que Luxemburgo pode mudar a realidade.

Não há um treinador brasileiro trabalhando em um clube importante da Europa.

Não é por acaso.

O atraso é enorme.

Os dois jogos entre Palmeiras e Corinthians foram soníferos.

Luxemburgo prega ao vento.

Tenta negar a realidade.

Os treinadores brasileiros estão atrasados nos seus conceitos.

E o melhor que ele teria de fazer, mesmo colecionando estaduais, cada vez menos importantes, seria estudar o Flamengo de Jorge Jesus.

Time que orgulhou o país.

Não pela Libertadores.

Pela maneira moderna de atuar.

Não rápida.

Mas intensa, voltada para o gol, para vencer.

Com movimentação, recomposição impressionantes.

A faixa de campeão paulista de 2020 não muda nada.

Luxemburgo não ilude com esse discurso.

Ele quer apenas se valorizar.

A dor pelo sucesso de Jesus o incomoda…

Depois de 12 anos: Palmeiras volta a comemorar título do Paulistão