‘Tenho feito pedidos para que não demitam’, diz Luiza Trajano

A empresária Luiza Trajano, presidente do conselho de administração do Maganize Luiza, tem feito um apelo aos empresários para que eles conservem os empregos e não fiquem em pânico por causa da pandemia do coronavírus.

“Tenho dito que o pânico está tão grande que eles não estão conseguindo ver as medidas que o governo está tomando”, disse Luiza, que também preside o Grupo Mulheres do Brasil.

Leia mais: Governo anuncia R$ 40 bilhões para micro e pequenas empresas

A seguir, os principais trechos da entrevista:

Há uma polêmica no governo sobre as formas de se fazer o confinamento. Como a sra. entende esta questão?

Eu não consigo responder se o confinamento pode ser desta forma (isolamento) ou vertical. Proteger a vida é mais importante. Mas a economia também é importante porque ajuda combater o desemprego.

Leia mais: Sete microempresárias falam sobre o efeito coronavírus nos negócios

O que tenho falado é que o confinamento é uma realidade. Se o governo junto com a área da Saúde não der previsibilidade, dificilmente você pode colocar todo mundo para fora para fazer compras na rua.

As pessoas estão muito amedrontadas. A (área da) Saúde e os políticos têm de dar previsibilidade como alguns países deram. Acho que agora eles têm de se unir.

Entre os empresários também há muitas dúvidas sobre fazer ou não paradas totais (lockdown)…

Se não tiver uma segurança da área da Saúde, as pessoas podem até transitar, mas não vão sair comprando.

Leia mais: Coronavírus: shoppings manterão emprego e salário na quarentena?

Na semana passada, em alguns lugares onde a gente não tinha fechado (as lojas), as pessoas passaram a nos cobrar. Já tinha um pânico grande. As pessoas estão com medo de se encontrar.

Como tem sido a conversa entre os empresários?

Temos feito bastante conferência. Eu sou muito procurada pelos pequenos e médios empresários. Tenho dito que o pânico está tão grande que eles não estão conseguindo ver as medidas que o governo está tomando. Eles estão com medo de quebrar e com razão.

O que a sra. tem falado aos empresários que te procuram?

Tenho tentado acalmar e explicar que o governo está ajudando. Estou pedindo para eles darem férias e não provocarem desemprego. Por outro lado, (a crise) tem ajudado na venda digital.

Muitos deles não acreditavam neste canal. Enquanto em São Paulo se investiu na venda digital, no interior do Estado ainda não.

A sra. tocou numa questão importante. As vendas digitais são importante canal agora.

Fazia muito tempo que nas minhas palestras estava pregando que as lojas físicas não iriam acabar, mas entrar no digital é muito importante.

O que a gente vai tirar de lição desta pandemia?

Acho que a gente vai ter de se reinventar e que a cooperação vai ser muito forte.

Temos que remar juntos para chegar no mesmo caminho. Foi um dos aprendizados mais pesados que vivi na minha vida. O Magazine está se reinventando cada vez mais neste processo.

Para a sra., as medidas da equipe econômica anunciadas esta semana serão suficientes?

Acho que elas vão ajudar a acalmar.

Mas as incertezas ainda persistem…

É um momento difícil que a gente nunca passou. Mas acredito no nosso poder de se reinventar e também é um momento que o pânico não nos deixa ver as coisas que estão sendo anunciadas do próprio governo para que a gente possa economicamente sair do sufoco.

Também temos defendido no comitê de saúde do Grupo Mulheres do Brasil o Sistema Único de Saúde. O SUS é o melhor sistema de saúde em países com mais de 100 milhões de habitantes.

Ipea sugere reajustar Bolsa Família em 29% contra coronavírus

Pesquisadores do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) sugerem que o governo conceda reajuste de até 29% no critério de acesso e nos valores pagos pelo Bolsa Família e crie um benefício extraordinário de R$ 450, por seis meses, para todas as famílias com renda de até meio salário mínimo por pessoa. As medidas alcançariam o terço mais pobre da população num momento em que elas estão vulneráveis à crise causada pelo novo coronavírus.

As ações seriam combinadas com a inclusão de 1,7 milhão de famílias que estão na fila de espera do programa. O gasto adicional com as transferências assistenciais em 2020 é calculado em R$ 68,6 bilhões, mas mais de 80% dessa despesa seria temporária e restrita a este ano. O impacto para o ano que vem seria bem menor, de R$ 11,6 bilhões, de acordo com a nota técnica divulgada na sexta, 27, pelo Ipea.

O cenário é apenas uma entre as 72 alternativas desenhadas e calculadas pelos pesquisadores Luís Henrique Paiva, Pedro Ferreira de Souza, Leticia Bartholo e Sergei Soares. De acordo com o texto, as simulações foram solicitadas pelo Ministério da Economia, que pediu “a construção de cenários de intervenção para potencializar o uso do Programa Bolsa Família (PBF) e do Cadastro Único como mecanismos de redução dos prejuízos econômicos causados pela covid-19 à população brasileira de baixa renda”.

O trabalho também analisou as dificuldades institucionais e operacionais, uma vez que qualquer resposta à covid-19 para dar suporte às famílias vulneráveis precisam ser rápidas. “De nada adianta uma boa resposta que poderá ser operacionalizada em 3 ou 4 meses, deixando as famílias mais pobres sem recursos durante o período mais crítico da crise”, alerta o texto.

Zerar a fila

A avaliação dos pesquisadores é de que é preciso zerar a fila de espera pelo Bolsa Família e restabelecer o valor real das linhas de pobreza e extrema pobreza fixado no início do programa em 2004 nesse momento de maior vulnerabilidade social. Hoje, o benefício é pago a famílias com renda mensal de até R$ 178 por pessoa, e a extrema pobreza é considerada quando o valor é de até R$ 89 por pessoa. Essas cifras, pela proposta, subiriam a R$ 230 e R$ 115, respectivamente, o que ampliaria o número de famílias aptas a ingressar no programa.

Além disso, os pesquisadores defendem a criação de um benefício extraordinário a ser pago a todas as famílias que estão com cadastro atualizado no Cadastro Único, base de dados do governo federal para a inclusão de famílias em programas sociais, independentemente de elas receberem ou não o Bolsa Família. Para ser incluído no CadÚnico, é preciso ter renda familiar de até R$ 522,50 por pessoa.

O argumento dos pesquisadores é que as famílias que estão no CadÚnico mas ainda não estão na “linha de pobreza” que justifica o pagamento do Bolsa Família podem passar por um “empobrecimento” durante a crise do novo coronavírus. Isso provocaria uma espécie de corrida aos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS), já sobrecarregados e que assistiriam a uma aglomeração de pessoas justamente quando a recomendação sanitária é para que a população fique em casa e evite situações de alto risco de contágio pela covid-19.

Durante a vigência do benefício extraordinário, os 30% mais pobres da população brasileira poderiam contar com uma renda mínima mensal de R$ 450 por família. Os beneficiários do Bolsa Família poderiam acumular os pagamentos e teriam, em média, uma segurança de renda mensal de quase R$ 690 por família. Após o fim do benefício extraordinário, as famílias beneficiárias do programa continuariam recebendo em média algo próximo de R$ 240 por família (R$ 77 per capita), valor 27% maior do que o pago atualmente, nos cálculos dos pesquisadores.

Coronavírus: ação em rodovia dá kit de higiene e lanche a caminhoneiros

Caminhoneiros que transitaram pela BR-135, no Maranhão (MA), na manhã deste sábado (28), receberam kits de higiene pessoal e lanche.

A iniciativa faz parte de uma campanha de orientação e prevenção ao coronavírus realizada pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres), Sest/Senat (Serviço Social do Transporte/Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte).

Leia mais: Como limpar o celular para se proteger do coronavirus

A ação, que também conta com a participação da PRF (Polícia Rodoviária Federal), foi realizada na Unidade Operacional e Policiamento da PRF.

Todos os agentes envolvidos na operação estão munidos da proteção necessária de prevenção ao coronavírus:máscaras, luvas e álcool gel.

Quem são os artilheiros do Internacional na temporada 2020

A temporada 2020 do Internacional contabiliza até o momento 15 jogos disputados onde os comandados pelo argentino Eduardo Coudet conseguiram nove vitórias, cinco empates e apenas uma derrota entre Copa Libertadores e Campeonato Gaúcho.

Em relação a distribuição dos gols marcados até aqui, o Colorado tem 10 atletas diferentes que sentiram esse ano o gosto de balançar as redes. Entretanto, uns sabem essa sensação mais do que outros, casos mais específicos do meia Thiago Galhardo e do atacante peruano Paolo Guerrero.

Cada um deles balançou as redes quatro vezes no ano, contudo com características distintas.

Enquanto os gols feitos pelo meio-campista contratado esse ano pelo Inter estão todos distribuídos em partidas do Gauchão (Juventude, São Luiz, Caxias e São José), Guerrero marcou na estreia do Inter na temporada contra o Pelotas e fez os outros três tentos frente a Tolima (Pré-Libertadores) e Universidad Católica, duas vezes, já na fase de grupos do torneio continental.

Veja a lista de artilheiros do Internacional em 2020

Paolo Guerrero e Thiago Galhardo – quatro gols;
Edenílson e Marcos Guilherme – três gols;
D’Alessandro, Nonato e Patrick – dois gols;
Boschilia, Heitor e Rodrigo Moledo – um gol.

Palmeiras dá parabéns a Galeano, 12º jogador com mais partidas pelo clube

Em meio à paralisação por conta da pandemia do coronavírus, o Palmeiras usou suas redes sociais para homenagear um dos jogadores que mais vezes vestiu a camisa alviverde. O ex-volante Galeano completa 48 anos de idade neste sábado e recebeu os parabéns do time em que foi revelado.

Somando suas passagens, de 1989 a 1992 e entre 1996 e 2002, o ex-meio-campista acumula 477 partidas, ocupando a 12ª colocação entre os atletas com mais jogos na história do clube. O ex-jogador acumula 250 vitórias e 27 gols e cinco títulos: o Campeonato Paulista de 1996, a Copa do Brasil e a Copa Mercosul, as duas em 1998, a Libertadores de 1999 e o Torneio Rio-São Paulo e a Copa dos Campeões, ambos em 2000.

Confira a publicação na conta oficial do Palmeiras no Twitter neste sábado:

Galeano marcou sua história no Palmeiras no final da década de 1990, sob o comando do técnico Luiz Felipe Scolari. Recebeu diversas oportunidades ao longo da conquista da Libertadores de 1999 e, na edição de 2000 do torneio continental, fez o gol da vitória por 3 a 2 sobre o Corinthians, na segunda semifinal, que proporcionou a histórica disputa de pênaltis encerrada com Marcos defendendo a cobrança de Marcelinho Carioca.

Em 2010, Galeano retornou ao Palmeiras como dirigente do departamento de futebol e acabou bastante ligado novamente a Felipão, treinador que voltaria a comandar o clube na metade daquele ano. Em 2012, o técnico foi demitido e, pouco depois, o ex-volante deixou o Verdão também.

Carros de rua – Volvo Car abre pré-venda do novo XC40 T5 R-Design Plug-in Hybrid

XC40 T5 R-Design Plug-in Hybrid

A Volvo Car Brasil estreia mais um modelo com motorização híbrida, o XC40 T5 R-Design Plug-in Hybrid, um SUV com porte imponente e as linhas inconfundíveis, que vem com o novo motor híbrido T5, inédito no País e que já pode ser reservado em todas as concessionárias Volvo com valor especial de pré-venda, por tempo limitado, de R$ 229.950,00.

“O lançamento desta nova versão faz parte das ousadas metas da Volvo aqui no Brasil. Já somos líderes no segmento Premium em veículos eletrificados e agora trazemos uma nova opção com essa tecnologia”, destaca Luis Rezende, presidente da Volvo Car Brasil e Head da América Latina.

O XC40 é um SUV que proporciona condução divertida, ágil, com conforto excepcional e a tecnologia Drive-E com baixo consumo de combustível e emissões de CO2. O modelo traz o inédito conjunto T5 Twin Engine FWD com dois motores, um elétrico, com 82Hp e outro turbo, a gasolina, 1.5L e 180Hp. Combinados, produzem 262hp de potência e 425N.m de torque. O desempenho é similar a um carro esportivo e faz de 0 a 100km/h em apenas 7,3s. Somente no modo elétrico (Pure), o XC40 T5 Plug-In Hybrid roda cerca de 47 quilômetros, ideal para os deslocamentos do dia-a-dia, por exemplo.

Integrado a tudo isso está o câmbio automático de sete velocidades de dupla embreagem, que garante performance e conforto em todas as situações, seja no dia a dia das cidades, como nas viagens. Para uma condução ainda mais esportiva, Paddle-shifters localizados atrás do volante garantem a troca manual de marchas.

Mas não é só por baixo do capô que o XC40 T5 Plug-In Hybrid impressiona. Por dentro, este SUV traz o estilo escandinavo e arrojado. O layout limpo destaca os belos detalhes que estão por todos os cantos e os materiais cuidadosamente elaborados e selecionados agradam aos sentidos.

O sistema de som é um show à parte e traz a tecnologia Air Woofer®, que oferece graves precisos e poderosos. Para uma experiência ainda mais imersiva, o sistema de áudio Harman Kardon® Premium Sound é produzido em colaboração com uma das principais marcas de áudio do mundo, com 13 alto-falantes que produzem um som equilibrado e poderoso.

Os assentos são esportivos e revestidos em couro e nobuck, trazendo conforto e elegância. O Chassi Sport reforça os aspectos exclusivos da versão R-Design, que ainda traz sistema de alerta de ponto cego (BLIS) com Cross Traffic Alert, alerta de colisão traseiro e rodas de liga leve de 20”, entre outros itens.

Dentre os itens de conforto e segurança, o XC40 Plug-In Hybrid R-Design traz o Pilot Assist, um sistema que ajuda a manter uma distância pré-definida do veículo à frente e corrige a direção para manter o carro na faixa em velocidades de até 130 km/h; controle de Cruzeiro Adaptativo, City Safety (sistema de frenagem automática), sistema de alerta de mudança de faixa (LKA) com assistente de direção e assistente de partida em aclives (HSA).

A praticidade também está em todos os detalhes com a abertura e fechamento elétrico do porta-malas com Hands-Free, ar-condicionado Dual Zone, alertas de colisão dianteiro e traseiro, assistente de descidas (HDC), carregador para smartphone por indução, faróis com função antiofuscante (AHB), faróis Full LED com nivelamento automático, painel de instrumentos digital com 12,3” personalizável e teto solar panorâmico elétrico.

Novo T5 Twin Engine – O XC40 Plug-In Hybrid R-Design possui uma das mais avançadas tecnologias de condução do mundo. Seu novo sistema T5 Twin Engine pode ser otimizado para privilegiar a redução dos gases poluentes e configurado de acordo com as opções do motorista:

Hybrid – Uso cotidiano. Utilização combinada do motor elétrico e combustão otimizando potência e consumo de combustível.
Pure – Condução econômica – 100% de uso do motor elétrico, baixo consumo e emissão zero. Indicado para uso urbano.
Power – Condução esportiva – Potência e torque máximo disponível com respostas mais rápidas do acelerador e trocas de marcha Sport com foco em performance.
Off-Road – Para condução em terrenos fora de estrada entre 20 e 40 km/h.
Individual – O motorista escolhe as suas preferências de condução.

Além disso, o modelo é equipado com as teclas Hold, que bloqueia o uso da bateria para uso posterior, e a tecla Charge, que recarrega a bateria em até 1/3 com o uso do motor à combustão.

City Safety: proteger o que é mais importante – A Volvo Cars é sinônimo de segurança e os recursos avançados do XC40 são o resultado de décadas de experiência e inovação. O centro de tudo é o City Safety, que identifica outros veículos, pedestres, ciclistas e animais grandes à frente, mesmo à noite, e avisa se uma colisão for iminente. Se o motorista não reagir em tempo, o sistema aciona os freios automaticamente para ajudar a evitar ou mitigar uma colisão.

Clique AQUI para fazer suas apostas esportivas

EB – www.autoracing.com.br

Tags
, , , , ,

ATENÇÃO: Comentários com textos ininteligíveis ou que faltem com respeito ao usuário não serão aprovados pelo moderador.

Decreto que impõe isolamento total no Paraguai é prorrogado

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, anunciou neste sábado (28) a prorrogação do período de isolamento total no país, que registrou até o momento 56 casos e três mortes em decorrência da infecção pelo novo coronavírus.

Leia mais: Contra coronavírus, Paraguai manterá quarentena ‘com exceções’

“Depois de ouvir todos os setores, foi decidida a manutenção do isolamento total até 12 de abril. Peço um esforço a mais de todos. Continuemos solidários com nosso sistema de saúde”, escreveu o chefe de governo, nas redes sociais.

A medida se refere às restrições de circulação de pessoas durante as 24 horas do dia, que seriam encerradas na madrugada de hoje para amanhã. A exceção entre os estabelecimentos comerciais valia apenas para supermercados e farmácias.

Desta forma, aulas seguirão suspensas e aglomerações seguem suspensas, assim como eventos esportivos não poderão ser realizados.

Uma exceção foi aberta no novo decreto deste sábado para funcionários de setores administrativos de órgãos públicos e empresas privadas, para que não haja corte de pagamentos. Além disso, foi autorizada a convocação de funcionários do setor da educação para a distribuição de almoço em áreas carentes.

A determinação de que as pessoas fiquem em casa no país tem gerado muitas críticas entre as entidades patronais, por causa da paralisação da economia paraguaia nas últimas semanas. A resposta de Abdo Benítez veio em entrevista veiculada ontem.

“A economia pode ser recuperar. Como disse desde o primeiro dia, o objetivo é salvar vidas”, afirmou.

Nesta quinta-feira (26), o governo do Paraguai promulgou uma lei de emergência para minimizar o impacto provocado pela crise sanitária, com abertura de uma linha de crédito de até US$ 1,6 bilhão (R$ 8,1 bilhões).

A oposição de esquerda a Abdo Benítez aponta que, se for mantida a atual estrutura tributária do país, os setores mais vulneráveis da economia, como os autônomos, e os mais pobres da população serão muito afetados.

COI mantem vagas conquistadas antes do adiamento da Olimpíada

O Comitê Olímpico Internacional (COI) informou neste sábado, de forma oficial, que os atletas que já haviam conquistado vaga para os Jogos de Tóquio estarão automaticamente classificados para a disputa na nova data do evento, que foi adiado para 2021 em razão da pandemia do novo coronavírus.

Depois da confirmação do adiamento da Olimpíada, anunciado na última terça-feira, havia a dúvida de federações e atletas se o sistema de classificação para o evento, marcado inicialmente para 24 de julho e 9 de agosto deste ano, passaria por alguma alteração.

“Está claro que os atletas que se qualificaram para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 permanecem qualificados. Isso é uma consequência do fato de que esses Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, em acordo com o Japão, continuarão sendo os Jogos da XXXII Olimpíada”, explicou o presidente do COI, Thomas Bach.

Com a decisão do COI de assegurar a manutenção das vagas dos atletas já classificados, as federações esportivas de cada país ainda vão ter de definir quais serão os critérios para a distribuição dos postos que ainda estavam em disputa.

A decisão do COI em manter as vagas significa um alívio para os mais de mil competidores, de todas as modalidades, já qualificados para Tóquio.

O Brasil tem, até o momento, 178 atletas classificados para os Jogos de Tóquio. O Comitê Olímpico do Brasil (COB) tem a expectativa de que a delegação brasileira seja composta por até 300 atletas. Ainda não estão definidas como serão as seletivas olímpicas que estavam agendadas para esse ano.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Neymar, Messi, CR7 e o mundo do esporte se unem contra o covid-19

Ex-técnico Renê Simões testa positivo para o covid-19

O ex-técnico René Simões é mais uma das vítimas do novo coronavírus. O anuncio foi feito, neste sábado, pelo próprio treinador, por meio das redes sociais. Segundo informou, Simões está em isolamento desde o dia 16 de março, quando começou a sentir os primeiros sintomas do covid-19. Ele já iniciou o tratamento e vai ficar em quarentena até o dia 30 do próximo mês.

– Dia 16 de março senti os sintomas do covid-19. Fui ao hospital e me testaram.
Por precaução, mesmo não sabendo o resultado, fiquei em isolamento no meu quarto. Não sai dele e tinha tudo separado para mim dentro de casa. Tudo era higienizado e ninguém entrava no quarto. Somente hoje recebi o resultado que foi positivo. Como o vírus demora a se manifestar, mesmo tendo mais de quatorze dias seguirei na prevenção e só sairei no dia 30 do isolamento.
Somente no primeiro dia tive algum sintoma e depois fiz tudo normalmente. Pensando em como daria a notícia, resolvi pegar a minha amada bola de futebol e fazer a comunicação juntos. Agradecendo a Deus por mais essa vitória.Fiquem bem e os em risco devem ser precavidos- diz postagem do treinador no Instagram.​

Com mais de 40 anos de carreira no futebol, Renê Simões tem passagens por quase todos os grandes clubes do futebol Brasileiro. O ex-treinador também comandou a Seleção Brasileira feminina, com a qual conquistou a prata em Atenas 2004. O último trabalho como técnico foi em 2017, pelo Macaé.

Atualmente participa do reality show, “Uma Vida um sonho”, apresentado por Glenda Koslowski, no SBT.

Curta a página do R7 Esportes no Facebook.

Neymar, Messi, CR7 e o mundo do esporte se unem contra o covid-19

Se Brasil isolar só idosos nº de mortos pode chegar a 529 mil

Uma estratégia de isolamento social de manter só idosos em casa, como sugere o presidente Jair Bolsonaro, ainda poderia levar à morte mais de 529 mil pessoas no Brasil por covid-19. O número é metade do que se projeta para um cenário em que nada fosse feito no País para conter a dispersão do coronavírus (1,15 milhão de óbitos). Mas é bem mais alto do que a estimativa para um isolamento social rápido e amplo. Mesmo com essa restrição mais drástica, haveria ao menos 44 mil mortes pela doença.

Os números fazem parte da nova pesquisa do Grupo de Resposta à Covid-19 do Imperial College de Londres. Os cientistas vêm fazendo quase em tempo real projeções matemáticas do avanço da pandemia e avaliam as ações em andamento.

Foi um trabalho dessa equipe com projeções para Estados Unidos e Reino Unido que fez o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson recuar sobre a ideia de adotar isolamento vertical (quarentena só de alguns grupos, como idosos e doentes crônicos). Johnson foi diagnosticado com covid-19 na sexta-feira, 27.

Segundo o jornal The New York Times, estimativas feitas por esses cientistas também influenciaram a Casa Branca a enrijecer medidas de isolamento.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) também recomenda o isolamento social. Já Bolsonaro tem criticado governadores que determinaram fechar o comércio e diz ter receio de uma crise econômica.

O trabalho mais recente do Imperial College, divulgado na quinta-feira, 26, expandiu a modelagem para 202 países. Liderados por Neil Ferguson, eles comparam possíveis impactos sobre a mortalidade em vários cenários: ausência de intervenções com distanciamento social mais brando, que chamam de mitigação, ou mais restrito, a supressão.

As estimativas foram feitas com base em dados da China, onde a doença foi registrada pela primeira vez em dezembro, e de países de alta renda. Significa que para nações de baixa renda a realidade pode ser ainda mais grave do que a apontada. A estimativa de cerca de 44 mil mortes para o Brasil considera o cenário mais amplo de isolamento, e feito de modo rápido.

A eficácia do isolamento mais amplo se aplicaria em todo o mundo segundo os pesquisadores. Eles estimam que, na ausência de intervenções, a covid-19 resultaria em 7 bilhões de infecções (quase toda a população global) e 40 milhões de mortes em todo o mundo este ano.

“Estratégias de mitigação focadas na blindagem de idosos (reduzir em 60% os contatos sociais) e desaceleração, mas não interrupção da transmissão (redução de 40% nos contatos sociais para uma população mais ampla) poderiam reduzir esse ônus pela metade, salvando 20 milhões de vidas, mas prevemos que, mesmo nesse cenário, sistemas de saúde em todos os países serão rapidamente sobrecarregados”, dizem os cientistas.

O Brasil já prevê demanda crescente no SUS. No País, até a sexta-feira, já havia 92 mortes confirmadas.

“É provável que esse efeito seja mais grave em contextos de baixa renda, onde a capacidade é mais baixa. Como resultado, prevemos que o verdadeiro ônus em ambientes de baixa renda que buscam estratégias de mitigação podem ser substancialmente mais altos do que o refletido nessas estimativas”, continuam os pesquisadores.

Apontam ainda que a demanda por ajuda médica só ficará em níveis manejáveis com adoção rápida de medidas de saúde pública para suprimir a transmissão, similares às de China e Coreia do Sul. Eles listam os testes em massa, o isolamento de casos e medidas mais amplas de distanciamento social.

“Se uma estratégia de supressão for implementada precocemente (com 0,2 morte por 100 mil habitantes por semana) e sustentada, então 38,7 milhões de vidas podem ser salvas. Se for iniciada quando o número de óbitos for maior (1,6 óbito por 100 mil habitantes por semana), só 30,7 milhões de vidas poderiam ser salvas”, escrevem eles, sobre as projeções globais. “Atrasos na implementação de ações para suprimir a transmissão levarão a piores resultados e menos vidas salvas.”

Consequências

Eles ponderam não considerar impactos sociais e econômicos mais amplos da supressão. Reconhecem que esses efeitos serão altos e podem ser desproporcionais em áreas de baixa renda.

Os pesquisadores reforçam, como já tinham dito em estudos anteriores, que as estratégias de supressão teriam de ser mantidas, com breves interrupções, até que vacinas ou tratamentos eficazes se tornem disponíveis.

Pesquisas sobre imunizantes já começaram, mas demandam uma série de testes e dificilmente a vacina chegará ao mercado ainda este ano. “Nossa análise destaca as decisões desafiadoras enfrentadas por todos os governos nas próximas semanas e meses, mas demonstra como uma ação rápida, decisiva e coletiva agora poderia salvar milhões.”